Além da previdência da empresa, devo investir no Tesouro?

Além da previdência da empresa, devo investir no Tesouro?

Internauta investe no plano de previdência de sua empresa e pergunta se deve também aplicar no Tesouro Direto para acumular renda para a aposentadoria.

Dúvida do internauta: Comecei a investir no plano de previdência da minha empresa há cerca de três anos. Uma das coisas que me motivou foi que a empresa contribui ao plano com uma porcentagem sobre o que eu invisto. Mas agora estou analisando os títulos do Tesouro Nacional porque muitos especialistas têm falado muito bem sobre esse investimento.

Quero montar um planejamento de 28 anos aproximadamente para chegar aos meus 60 anos com mais tranquilidade, tanto para mim, quanto para minha família. Tenho a possibilidade de investir dois mil reais por ano. Qual a melhor sugestão?

Resposta de Fernando Meibak*:
Os planos de previdência fechados de empresas, que são oferecidos como benefícios aos funcionários, são extremamente positivos de um modo geral, pois têm uma contrapartida de contribuições da empresa ao plano para cada real que o empregado deposita.

Cada empresa estabelece suas próprias regras de paridade e definem o percentual de contribuição que farão, dependendo do valor que o empregado investe.

Algumas têm paridade um para um, ou seja, investem o mesmo valor que o funcionário investe, dobrando o valor de cada aporte feito ao plano.

É um benefício muito importante. Financeiramente falando, nada terá melhor retorno.
Cada plano tem regras próprias sobre os direitos do investidor sobre a parcela de recursos que a empresa depositou, mas os valores que você depositar sempre poderão ser sacados.

Em geral esses critérios de resgate dos valores aportados pelas empresas estão associados ao tempo de trabalho do empregado na empresa e à idade, ou a uma combinação de ambos.

Esses planos fechados também costumam ter um limite máximo de contribuição de um percentual do salário, que pode ser de até 5%, 8%, 10% da remuneração, dependendo da empresa.

Minha recomendação: contribua pelo limite máximo permitido. Mesmo que você saia da empresa antes de atingir o direito de sacar os recursos depositados pelo empregador, é uma poupança interessante, pois os recursos são investidos em produtos de baixo risco e os custos de administração são baixos.

Para que você tenha um futuro com mais tranquilidade depois dos 60 anos, a poupança mensal necessária teria que ser mais elevada.

Os 2 mil reais por ano que você cita em sua pergunta é um valor muito baixo. Faça um esforço para poupar mais. Em sua idade, o ideal seria poupar algo próximo a 20% do seu salário.

Além de investir no plano da sua empresa pelo máximo percentual possível, recomendo sim que você invista no Tesouro Direto. Os títulos públicos podem ser o destino ideal para esses investimentos adicionais que você pretende fazer.

Escolha a Nota do Tesouro Nacional série B Principal (NTN-B Principal), com vencimento em 2035 ou 2050.

* Fernando Meibak é sócio da consultoria Moneyplan, ex-diretor de gestão de investimentos do ABN-Amro Real e HSBC Brasil e autor do livro “O Futuro Irá Chegar! Você Está Preparado Financeiramente para Viver até os 90 ou 100 Anos?”.